terça-feira, 3 de março de 2009

APRESENTAÇAO

As Organizações Não Governamentais (ONG) têm desenvolvido um papel importante de inclusão da sociedade em projetos de governo que compreendem variados campos do conhecimento. Esta parceria ONG’s-Governos Federal, Estaduais e Municipais tem também configurado como um mecanismo de a sociedade medir a atuação dos governos em setores considerados estratégicos (Ex.: saúde, educação, habitação e etc). Contudo, estas organizações tendem a ser mais abrangentes que isto, uma vez que criam espaço para reflexão e discussão de outros problemas que atingem a sociedade e não são abordados, por falta de formação (ou informação) adequada desta sociedade em compreender a inter-relação dos diversos elementos que integram o cotidiano (político, econômico, social, ambiental entre outros), e têm tanta relevância quanto os exemplos de setores considerados estratégicos e citados anteriormente. Nesta vertente, os movimentos em prol das questões relacionados ao meio ambiente, principalmente concernentes às políticas de conservação e de gerenciamento de uso dos recursos naturais, têm ajudado a questionar o tipo de intervenção que o homem vem fazendo em seu ambiente. Este tipo de intervenção ao meio ambiente tem importância não só para a manutenção da fauna, da flora e dos recursos hídricos, mas também atinge em cheio a viabilidade da raça humana.
Podemos dentro de um raciocínio socioambiental tentar prever o grau de impacto advindo da estruturação de uma cidade e também imaginar os danos futuros causados pela implementação de outras obras neste ambiente, às vezes propostas como uma suposta melhoria social. Para isto é importante que a sociedade tenha um alto grau de formação, que associado a outros campos da ciência dê importância à ciência ambiental, e um alto poder de mobilização para uma participação mais efetiva e consciente, respondendo positivamente à demanda das mudanças desejadas. A EPA BARRUS, uma ONG ambiental - Estudo Pesquisa e Proteção Ambiental BARRUS, com sede no município de Anápolis, tem se preocupado com estas questões e vem promovendo um trabalho com as associações de bairros e escolas deste município, em princípio, focando a educação ambiental e vem passando por um processo de formação de competências para execução de projetos com o objetivo de manter a sociedade informada sobre as questões ambientais que podem vir a ser gargalos para o desenvolvimento de Anápolis dentro de um contexto sustentável.
A EPA BARRUS foi fundada no início de 2005, mas vem sendo estruturada desde 2000. Atualmente, possui mais de 20 integrantes de diversas áreas do conhecimento e atuação profissional, tais como: geógrafos, engenheiros agrônomo e químico, químicos, historiadores, odontólogos, educadores e veterinário para citar alguns exemplos. Esta reunião de habilidades deve ser entendida como uma necessidade para que a discussão de ações destas organizações ambientais flua dentro do contexto de transversalidade que o tema exige. Neste cenário, A EPA BARRUS vem participando de debates em escolas públicas e privadas para tratar de temas relacionados aos recursos hídricos e ao bioma Cerrado (Debate: “Um Olhar Sobre o Cerrado” – organizado pelo Colégio São Francisco de Assis, em Anápolis) e de visitas técnicas para identificar os problemas ambientais da região de Anápolis (visitas às nascentes dos corpos d’água). A convite da Secretaria do Meio Ambiente de Anápolis, a EPA BARRUS também participou do dia Mundial do Meio Ambiente que foi comemorado no dia 5 de junho deste ano. Na oportunidade, foi promovida uma ação de educação ambiental, cujo tema central foi preservação dos cursos d’água da cidade. Alem de promover plantio de mudas no Setor Sul de Anápolis.
A EPA BARRUS agora se encontra em fase de estruturação de projetos que viabilizem a continuidade de um trabalho de educação ambiental nas redes de ensino pública e privada da cidade e a conservação da natureza.
Para se associar ou fazer contato: epabarrus@yahoo.com.br.